ENGENHARIA DE ALIMENTOS

O Curso: O perfil do egresso do curso de Engenharia de Alimentos das Faculdades Integradas de Três Lagoas, caracteriza um profissional capaz de desenvolver com propriedade as atividades de Engenharia aplicadas à indústria de alimentos. Para tanto, é necessário que este profissional tenha um preparo específico aprofundado não apenas na área de Ciências Exatas (básicas e aplicadas) que o caracterizam como engenheiro, mas também em outros aspectos que lhes permitam aplicar com segurança os princípios da engenharia ao campo da industrialização de alimentos. Ao final do curso, o profissional deverá estar apto a analisar e intervir nas diversas etapas do processo produtivo, encontrado nas indústrias alimentícias, realizar consultorias e assessorias em linhas de produção e áreas correlatas.

Mercado de trabalho:

O engenheiro de alimentos é o profissional indicado para ser o responsável pelas seguintes áreas:

Þ Produção: devido aos conhecimentos dos processos tecnológicos e dos equipamentos envolvidos na industrialização de alimentos. Esta sua formação lhe permite um melhor aproveitamento dos recursos disponíveis. Ele também atua no sentido de utilizar o melhor processo para a transformação da matéria-prima em produto (alimento) industrializado;

Þ Qualidade: seu preparo profissional lhe permite desenvolver, planejar e montar programas e laboratórios para controle de qualidade, bem como organizar, implementar e gerenciar Sistemas de Qualidade, treinando equipes para essa atividade, atuando desde a recepção da matéria-prima até o produto acabado. Este profissional está alicerçado nas formações específicas em Microbiologia, Bioquímica, Química, Tecnologia, Engenharia de Alimentos e Controle de Processos. A formação do Engenheiro de Alimentos dispensa a improvisação no setor;

Þ Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos: a partir de estudos da necessidade de determinado produto no mercado consumidor, o engenheiro de alimentos utiliza seus conhecimentos em matérias-primas, processos e equipamentos, fornecendo os subsídios necessários para o lançamento de um novo produto e propondo argumentos de vendas e bases para os cálculos de custos;

Þ Análise de Sensorial: estuda a aceitabilidade de determinado produto;

Þ Planejamento e Projeto Industrial: o engenheiro de alimentos é essencial na definição dos processos, equipamentos e instalações industriais, bem como no estudo da viabilidade econômico-financeira do projeto;

Þ Gerenciamento e Administração: da Indústria Alimentícia, atua na solução de problemas administrativos e/ou técnicos, pois a manutenção das atividades da indústria dentro de um orçamento preestabelecido é uma de suas funções;

Þ Setor de Marketing e Vendas: Devido aos conhecimentos básicos em tudo que se diz respeito a alimentos, aditivos e equipamentos, esse profissional tem sido bastante requisitado no setor de insumos e equipamentos, tanto no âmbito nacional como no comércio externo;

Þ Setor de Equipamentos: Destaca-se a participação do engenheiro de alimentos nos projetos de adaptação e nacionalização de componentes. Essa atuação tem permitido um melhor desenvolvimento dos equipamentos utilizados nas indústrias de alimentos;

Þ Fiscalização de Alimentos e Bebidas: por órgãos governamentais no âmbito municipal, estadual e federal, é importante a atuação do engenheiro de alimentos, o qual tem procurado atingir o âmago do problema no Brasil. Sua contribuição tem sido grande, atuando no estabelecimento de padrões de qualidade e identidade na fiscalização da aplicação destes padrões;

Þ Manutenção: uma das áreas técnicas em que a indústria de alimentos, principalmente a pequena e média, mais se ressente é a falta de programas de manutenção preventiva. A manutenção dos equipamentos é de suma importância para a indústria, pois dela depende a qualidade do produto e a programação industrial;

Þ Armazenamento: O engenheiro de alimentos atua na área de armazenamento, desenvolvendo sua programação e utilizando as técnicas mais adequadas para evitar perdas e manter a qualidade da matéria-prima até sua industrialização ou consumo “in natura”;

Þ Consultoria: A expansão industrial e metropolitana do país tem criado mercado para inúmeros alimentos industrializados ainda inexistentes. Além disso, essa expansão exige a atualização e melhora da qualidade dos produtos já existentes. Engenheiros de Alimentos com experiência em processos tecnológicos, padrões de qualidade, normas e legislação sanitária e padrões para exportação de produtos, tem contribuído para isso, tanto como consultores independentes como participando em empresas de exportação.

Duração: 5 ANOS

IMAGEM